segunda-feira, 13 de março de 2017

 “ Moço bonito”

Moço bonito do furinho no queixo
Que segredos ocultas
Em teus olhos pequenos...?

Moço bonito do queixinho furado
O teu beijo é um convite
Do mais puro requinte

Moço bonito do sorriso largo
Tens o toque e o gosto do pecado

Moço bonito de humor refinado
Tão intenso é o calor que emanas
Que o meu corpo inteirinho
Pelo teu se assanha

Moço bonito de imponente porte físico
Quase me fazes perder o juízo
A deixar-me envolver em teus braços
E entregar-me ao sabor do acaso...

quarta-feira, 8 de março de 2017


                                  "Especialmente Mulher"
Dizem que por trás de um homem bem sucedido, sempre há uma grande mulher.  

Eu diria que ao lado de um homem bem sucedido, existe também uma grande mulher.
Mulher que provém, que acolhe , que cuida;
Mulher que intervém, que se preocupa, que educa.
Que se desdobra em mil facetas, se preciso for, sem perder seu charme e sua beleza;
Que traz em sua essência mistérios indecifráveis, capaz dos gestos mais nobres e de atitudes, muitas vezes, inesperadas.
Sábia por natureza e abençoada com o dom da vida, tem dentro de si uma verdadeira guerreira, apesar de sua aparente fragilidade.
Mulher- mãe-protetora,
Mulher- amiga-companheira,
A esposa dedicada, a filha carinhosa, a mulher batalhadora.
Que você se orgulhe de suas conquistas e saiba valorizar-se.
E que jamais perca sua feminilidade, principalmente nos dias atuais
Pois você é especialmente Mulher...

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

"Prosa indiciosa"
(Ele...)
Não é contraditório? Estava com você... E agora não estou Estava feliz E agora não estou Se a vida é feita de pequenos momentos Os que passei com você Me levaram a outro tempo Um tempo de inocência Um tempo em que a felicidade estava ao alcance da mão... Mas era impossível Será?

(Ela...)
O que é felicidade...?
Talvez contradição...
Momentos pequenos vividos
Aquilo que sentimos e que não tem explicação
O que é felicidade?
Estar com você e você comigo?
Talvez sim... Talvez não...
Mas viver nem sempre faz sentido
Saboreemos o ocorrido
E o amanhã talvez se torne possível...

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017


"Tô no clima..."

Tô precisando de um cafuné...
De uma gostosa massagem no pé...
De um cheiro demorado no cangote...
E um abraço particularmente forte...

Tô carente de um beijo bem explorado
De um téte-a-téte maneiro
Num toque firme e certeiro
De um corpo denso...pesado...

Tô de boa mas...
Cheia de más intenções...
Na fissura de muita pegação
Mergulhada em provocações...

Tô querendo um papo-firme
Assim, sem muita conversa
De atitude e movimento em demasia
E nenhum minuto de inércia!

Tô assim...
Gata no cio...sem fim...

segunda-feira, 26 de setembro de 2016


Teu perfume, último poema”

Inda resta teu perfume

Na camiseta branca amarelada de dormir

Esquecida por acaso ou providência

Para que, de quando em quando,

Eu pudesse junto a mim te sentir...

Inda resta teu perfume

E agora somente as lembranças

Pois já não há sequer esperança

De um final feliz...

Feliz foi o tempo em que juntos estivemos

As loucas horas em que nos amamos

As gostosas risadas que demos no Di Salerno

E todas as vezes em que dançamos...

Inda resta teu perfume...

Por quanto tempo ainda restará...?

O suficiente talvez, para esquecer-te de vez...

terça-feira, 6 de setembro de 2016


                  “DELEITE”
Anseio ardentemente por um toque seu
Venha sem demora, satisfazer este sedento desejo meu
Quero teu olhar obsceno a devorar meu corpo absorto...
Teus lábios tateando minhas curvas
Sugando minha vulva...
A me cobrir de carícias...
Revelando-me delícias...
A consumir minhas energias...
A me enlouquecer de prazer!
Minha boca sempre ávida por tua saliva
Por teu beijo,  teu odor...
Saborear teu sêmen sem recato, sem pudor
Deleitar-me em tua nudez
Cavalgar em tua rigidez
Até jorrar tua seiva quente              
             em meu libidinoso e secreto jardim
Realizar-me num gozo pleno de amor...

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

 Quem és e qual o teu sentido?
                 (In memoriam)                     
Tão sublime e implacável...
És um sopro ininterrupto de duração determinada
És brisa que embala as verdes folhas...
E num instante, não és mais nada
És orvalho a lacrimejar sobre pétalas aveludadas
Numa manhã de inverno gelada...
Tua linha é tão tênue e incerta
Que despertas as mais profundas indagações
Tua face, por vezes doce e tranquila
Outras, turbulenta e impiedosa
Teu caminhar segue o curso de um rio
Num percurso sem volta
Tuas curvas sinuosas e repentes de cheia...
Tempestades intempestivas e tardes de calmaria
Tens a cor de teu pintor!
 Mas para alguns, não tens colorido algum
Tão comemorada é tua chegada
E quase sempre, funesta tua partida
Assim segues teu caminho... teu destino...
Assim és tu, Vida...